Texturômetro no Estudo de Pimentões

TexturômetroObjetivo: Força de punção na casca de pimentões utilizando um probe cilíndrico.

Equipamento: Texturômetro TA.XT Plus da Stable Micro Systems.

Acessório: Probe cilíndrico de 3mm (código P/3) com célula de carga de 5 kg, plataforma Heavy Duty (código HDP/90) e placa perfurada (código HDP/BP).

Preparação das amostras: Corte pimentões frescos longitudinalmente em tiras de comprimentos iguais. Retire as extremidades curvas de cada tira e o material interno esponjoso branco para obter uma amostra o mais plana possível.

Teste de preparação: Posicione a plataforma Heavy Duty na base do texturômetro sem apertar os parafusos. Insira a placa perfurada na plataforma e aperte os parafusos. Abaixe o braço do texturômetro de modo que o probe passe centralmente através do orifício da placa. Fixe a plataforma Heavy Duty nesta posição apertando os parafusos na base do texturômetro.

Eleve o braço do texturômetro para permitir a colocação da amostra na placa perfurada. Posicione a amostra centralmente na placa perfurada e inicie o teste.

Curva típica:Texturômetro

A curva acima foi produzida foi produzida pelo Software Exponent ao receber os dados enviados pelo texturômetro TA.XT Plus a partir de testes em tiras de pimentões vermelhos (25mm x 75 milímetros x 3 mm)

Observações: Uma vez que a força de 25g é atingida ao tocar a superfície do produto, o gráfico indica o achatamento da amostra, devido à sua estrutura curva (gradiente inicial). O gradiente seguinte indica o módulo de elasticidade da amostra até o ponto de penetração (mostrado como o pico de força absoluta e muitas vezes referido como o “ponto de bioyield ‘).

Após a penetração na superfície a força cai consideravelmente, continuando a penetrar nos tecidos mais baixos até a profundidade previamente escolhida (neste teste, 12 mm).

Notas:

Deve-se considerar que, ao testar pimentões frescos, há fatores que afetam as propriedades mecânicas da fruta, tais quais:

  • O grau de maturação
  • Idade da fruta após a colheita pois esta perde umidade com o tempo, fazendo com que a superfície tenha uma característica elástica devido à perda de turgescência celular.
  • Genótipo do fruto – este é o principal fator limitante ao comparar frutas do mesmo fenótipo, ou seja, uma pimenta vermelha pode ser geneticamente diferente de outra pimenta vermelha, resultando em diferenças na formação de pele. É por esta razão que, ao examinar o seguinte estudo de aplicação, deve ser levado em consideração o genótipo da pimenta especial crescido conta.
  • Este estudo de aplicação foi concebido para uma amostra específica e, por isso, deve-se notar que qualquer desvio da amostra em termos de tamanho, forma, formulação, etc., pode causar grandes diferenças ou mesmo exigir um método diferente de ensaio.

Para mais informações sobre o Texturômetro TA.XT Plus ou dados mais detalhados sobre este ensaio, entre em contato com os engenheiros da Extralab Brasil por e-mail: contato@extralab.com.br ou telefone: 11 4524 2414.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s